​PsCircopatas

surge do encontro entre duas artistas circenses – Júlia Barnabé

(BRA e Painé Santamaria (ARG) – na cidade de São Paulo (BRA). Atuaram juntas numa

série de varietês com energia feminina no ano de 2016, como a “Noite das Bruxas” - Circo

no Beco (SP), “Ninguna Costilla” - Circo do Asfalto (Santo André/SP), “Cabaré Quem São

Elas?” - Circo Burlesco (Ilhabela/SP) e “Encontro Internacional de Mulheres Palhaças” (SP).

Ao se conhecerem e se reconhecerem na luta por espaços em que mulheres possam mostrar suas criações artísticas e terem seus trabalhos reconhecidos por sua qualidade,

- Temporada de verão, apresentações de rua (Ubatuba/SP)

- Festival EuRiso – Encontro Internacional de Palhaços (Fernandópolis/SP)

- Circo do Asfalto (Santo André/SP)

- Circo no Beco (São Paulo/SP)

- Parque Raphael Lazzuri (São Bernardo do Campo/SP)

- Parque do Povo (São Paulo/SP)

- Convenção Paraguaia de Circo (Ciudad de Leste/Paraguay)

- Complexo Cultural FUNARTE ((São Paulo/SP)

- Varietê Ninguna Costilla - Teatro Parlapatões (São Paulo/SP)

2017

percebem a potência desse fluxo de empoderamento feminino. A partir da consciência da necessidade de questionar e ocupar espaços historicamente masculinos – como o centro do picadeiro –, nasce o desejo de unir suas trajetórias. Em 2017, desenvolvem uma pesquisa sobre a loucura feminina, o universo dos hospitais psiquiátricos e dos medicamentos para falar sobre os desvarios de ser mulher e artista.

Da fusão entre as linguagens de palhaçaria, malabares, marionetes e teatro físico, nasce “Doidivanas”, o primeiro espetáculo da dupla.